fbpx

- Continua depois da publicidade -


Damares quer urgência na aprovação do ensino domiciliar

A proposta enviada ao Congresso, caso aprovada, garantirá aos pais a liberdade de optar entre educação escolar ou domiciliar.

A ministra da Família, Mulher e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta sexta-feira (12) que o governo federal vai pedir regime de urgência na tramitação do projeto de lei que propõe regularizar o ensino domiciliar no Brasil.

– Continua depois da publicidade –


O projeto foi assinado nesta quinta-feira (11) pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, na cerimônia em comemoração aos 100 dias do governo. No mesmo dia, o texto foi enviado ao Congresso Nacional.

Com o carimbo de urgência, os prazos para a análise ficam mais curtos, e a proposta pode seguir para apreciação diretamente no plenário, sem votação em comissões da Câmara e do Senado.

A educação domiciliar é uma modalidade de ensino em que pais ou tutores assumem o processo de aprendizagem das crianças, ensinando a elas os conteúdos ou contratando professores particulares.

Obviamente, é um absurdo o Estado agir como se nossos filhos fossem sua propriedade. Imagine: o Estado pode montar uma base curricular contendo ideologia de gênero, comunismo, ateísmo ou qualquer coisa que dê na cabeça do governo que esteja no poder, e estamos obrigados a submeter nossos filhos a isso.

O Brasil tem a obrigação de se tornar uma nação livre, onde as pessoas possam ser independentes do aparato estatal, como acontece em nações desenvolvidas.

Não queremos socialismo. Não queremos um Estado que imponha sua educação às nossas crianças.

– Continua depois da publicidade –


Comentários


Veja também...

Ajude-nos a quebrar a censura e siga o Diário Conservador no Twitter: