fbpx

- Continua depois da publicidade -


Mandados de busca e apreensão, cuja autoria é do ministro Alexandre de Moraes (STF), estão sendo cumpridos em três estados em operação contra ‘Fake News’.

A mando do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, a Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão relativos ao inquérito que apura notícias falsas contras os membros da Corte em três estados da União. Ex-candidato pelo PRP ao GDF, o general Paulo Chagas confirmou, por meio do Twitter, na manhã desta terça-feira (16/04/19), que foi um dos alvos da operação.

– Continua depois da publicidade –


“Acabo de ser honrado com a visita da Polícia Federal em minha residência, com mandato de busca e apreensão expedido por ninguém menos do que ministro Alexandre de Moraes. Quanta honra! Lamentei estar fora de Brasília e não poder recebê-los pessoalmente”, comentou, na publicação.

Além da residência de Chagas, a PF cumpre mandados em outros nove endereços. O inquérito que deu origem à ação tem como objetivo apurar supostas ‘Fake News’ contra ministros do Supremo. O militar reformado é um dos alvos por, supostamente, difundir informações contra a honra dos magistrados e sugerir o fechamento do STF.

O que o General fez foi simplesmente publicar um vídeo do ministro Dias Toffoli falando em roubar processos. Indignado, e com razão, Chagas sugeriu que fechassem a Corte.

Procurado pelo jornal Metrópoles, o general acredita que a ação é consequência das opiniões emitidas por ele sobre o STF. “Sou um cidadão comum e tenho o direito de emitir minha opinião sobre tudo o que penso. Ao menos eu pensava que sim. Sempre falei mal do STF, não da instituição, que foi criada para defender a Constituição, mas do formato do conjunto de ministros que, às vezes, tenta defender a impunidade de criminosos e não a liberdade”, afirmou.

“Eles acabaram escancarando um inquérito existente para tentar calar quem tem o direito de pensar e se expressar de forma diferente da deles. Não me sinto humilhado porque nada fiz a não ser me posicionar como um cidadão que tem sua própria opinião sobre o que vem acontecendo”, finalizou.

– Continua depois da publicidade –


Comentários


Veja também...

Ajude-nos a quebrar a censura e siga o Diário Conservador no Twitter: