fbpx

- Continua depois da publicidade -


Após falar um monte de besteiras, Villa é expulso da Jovem Pan

Apesar de ter chamado os brasileiros de “neonazistas”, o jornalista disse que foi “sondado” pela direção da rádio.

O historiador e comentarista político, Marco Antonio Villa, anunciou, nesta segunda-feira (24), a sua saída da rádio Jovem Pan.

– Continua depois da publicidade –


A decisão foi tomada após Villa ser suspenso por 30 dias pela própria direção da emissora, em maio.

Em conversa com o site UOL, o comentarista disse que houve acordo para a rescisão do contrato estabelecido pelas duas partes:

“Eu decidi que não queria mais voltar para a Pan. Não tinha mais nem condições de voltar a trabalhar lá. Senti que não havia mais clima depois de me darem uma quase punição.”

Às vésperas da manifestação pró-reformas, ocorrida em maio, Marco Antonio Villa disse no “Jornal da Manhã” que “atos neonazistas [aconteceriam] no dia 26”.

Nos bastidores, a declaração foi citada como estopim para a decisão da direção da emissora.

Após quatro anos e meio de serviços prestados à emissora, Villa cita a frustração em ter que deixar a rádio “dessa forma”:

“Fiquei entristecido com a minha saída, gostava muito de trabalhar lá, mas infelizmente acabou dessa forma, que não era a melhor forma que eu queria que terminasse essa relação. Eu fiz de tudo para ter uma saída elegante, não queria sair batendo a porta.”

– Continua depois da publicidade –


Comentários


Veja também...

Ajude-nos a quebrar a censura e siga o Diário Conservador no Twitter: